​A Quarentuna de Coimbra foi fundada a 18/12/2009 e está legalmente constituída como Associação Musical, entidade sem fins lucrativos. É formada em exclusivo por antigos alunos da Academia de Coimbra que também foram tunos nos seus tempos de estudante e conta nas suas fileiras com elementos da maior parte das tunas de Coimbra desses tempos.

Este é um projeto que dinamiza cerca de uma vintena de pessoas que se desloca assíduamente a Coimbra para ensaios e a atuações pelo país e estrangeiro, comportamento só explicado pela paixão com que, tanto  individual  como coletivamente, se dedicam a esta "causa".



O grande objectivo da Quarentuna de Coimbra é a divulgação da música e cultura da sua cidade e da sua academia, procurando apresentar uma perspectiva original de cada tema que interpreta.

No curto trajecto do grupo destacam-se as seguintes participações:

- I Encontro Mundial de Tunas em Mojácar (Espanha)

- ... de Coimbra, a Guitarra, o Canto e a Poesia, no Teatro S. Jorge, em Lisboa, onde partilhou o palco com os mais históricos nomes da Canção de Coimbra

- I, II e III Conquistador, encontro solidário de Tunas, na Cidade de Guimarães

- VI e X TunaFest em Morelia e Pátzcuaro (México)

- II Encontros Troianos em Santiago de Compostela (Espanha)

- III Encuentro Internacional de Tunas de Sopó (Colômbia)

- 25º Aniversário da Tuna de Veteranos de La Coruña (Espanha)

A Quarentuna de Coimbra organiza anualmente um Encontro de Quarentunas e Tunas de Veteranos, denominado Quadragésimo, evento onde homenageia nomes imortais da Canção de Coimbra. Em 2011 contámos com a presença do saudoso Dr. Luiz Goes, na interpretação do tema Cantiga Para Quem Sonha. Devido a doença não esteve presente o Dr. Machado Soares em 2012 mas interpretámos o tema mais emblemático que compôs: Balada da despedida do 6º Ano Médico de 1958.

No ano seguinte, ao lado do Dr. Camacho Vieira, recriámos a Toada do Penedo da Saudade. A IV edição trouxe até nós o Dr. Fernando Rolim e o seu Ondas do mar. Na edição de 2015, juntamente com o Dr. Octávio Sérgio, interpretámos Balada do Outono, tema de cujos arranjos é autor. Em 2016, homegeámos o Dr. Rui Pato, insigne viola que acompanhámos no tema "Natal dos simples", uma das muitas canções que arranjou para José Afonso. Em 2017, o homenageado saiu da esfera da Canção de Coimbra. Foi o Doutor Nelson Borges, um homem do folclore, e o tema foi "Folguedos", um tema proveniente da região de Coimbra. António Vicente, autor de vários temas populares interpretados pela Estudantina Universitária de Coimbra, foi o homenageado de 2018, tendo a Quarentuna feito uma rapsódia com vários temas seus, a que chamámos VIcentada. Em 2019, homenageado um dos nossos que desapareceu: Sérgio Baptista. Ao juntarmos 3 temas da sua autoria criámos o Sérgito. Em 2020, pelas circunstâncias que todos conhecemos, o evento foi inviabilizado pelas autoridades sanitárias.

O traje

 

Tendo os seus membros rasgado a respectiva batina por ocasião da conclusão dos seus cursos, a Quarentuna de Coimbra teve necessidade de definir qual o traje apropriado ao espírito do grupo.

 

Ver AQUI

Logótipo concebido

por Laurentino Reis

© 2012 Quarentuna de Coimbra

  • w-facebook
  • w-youtube

Siga-nos em

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now