Coimbra tem mais encanto

Na hora da despedida

 

Que as lágrimas do meu pranto

São a luz que me dá vida.

 

Quem me dera estar contente

Enganar minha dor

Mas a saudade não mente

Se é verdadeiro o amor.

 

Não me tentes enganar

Com a tua formosura

Que para além do luar

                                                   Há sempre uma noite escura.